<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5890420\x26blogName\x3dtorneiras+de+freud\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://torneirasdefreud.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://torneirasdefreud.blogspot.com/\x26vt\x3d6977037342804099436', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

7/14/2004

outro último poema


Adeus,meu amigo,adeus,
querido amigo, que trago no coração.
A separação predistinada
para mais tarde promete novo encontro.

Adeus,meu amigo,sem aperto de mão nem palavras.
Não lamentes e não haja dor nem pena,-
nesta vida morrer não é nada de novo,
mas também nada de novo é viver


Iessénine,tradução de Manuel de Seabra in Poetas Russos, Relógio de Água,p.59




Até logo, até logo,companheiro,
Guardo-te no meu peito e te asseguro :
O nosso afastamento é passageiro
É sinal de um encontro no futuro .

Adeus,amigo,sem mãos nem palavras.
Não faças um sobrolho pensativo.
Se morrer, nesta vida,não é novo,
Tampouco há novidade em estar vivo .



Iéssenine ,tradução de Augusto de Campos in Poesia Russa Moderna de Augusto de Campos,Haroldo de Campos e Boris Shnaiderman,Editora Brasiliense,4ª Edição