<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d5890420\x26blogName\x3dtorneiras+de+freud\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://torneirasdefreud.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_PT\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://torneirasdefreud.blogspot.com/\x26vt\x3d6977037342804099436', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

8/01/2004

Passagens de volta


cena de "Im Lauf der Zeit" (ao correr do tempo) de Wim Wenders.

Verão- o verão é a estação do transbordo, logo que o comboio ande para frente e não fique parado.

no verão, há tanto fogo no céu com em terra. no céu, artificial e alegre para alguns. em terra, real e triste para muitos.

realidade /imaginação- às vezes, a realidade supera tudo o que nós imaginamos. há dias, na rua, dou-me com três pessoas, que bem podiam ser três personagens saídas de um livro. o livro abriu e elas foram dar uma volta. primeira: um homem, com aparência norte- americana vincada, com um gravador na mão, caminhando pela rua, falando para o mesmo gravador. mistério?
segunda: um homem, descendo a rua Nossa Senhora de Fátima, com violino no ombro ,tocando, pela rua abaixo. anjo?
terceira:um homem, todo vestido à "palhaço", em cima de uma bicicleta, atravessando uma zebra. tom?

the big fish de tim burton é ainda o melhor filme que eu vi neste ano no cinema- "romancista é todos nós e narramos quando vemos, porque ver é complexo como tudo." bernardo soares

Joker ...joga-se para cima da mesa meia dúzia de histórias tristes, como se elas fossem cartas do mesmo baralho. quero acreditar que há ainda um joker, como terceiro elemento. não pode ser só dar e partir.

ainda o orkut- no lindo site de encontro de novos amigos, dos States, of course, muitas são as novas comunidades e as velhas também. há comunidade com acento no ódio para quase tudo. odeio tv ligada. odeio tv desligada. odeio cromos de futebol. odeio batata com feijão. odeio birutisses. odeio alma fria.
enfim. nunca mais finda. também há a "odeio odiar", claro. porém não dou com a "odeio terrorista".a sério que não dá para entender.

pergunta-«¿Tendré tiempo para hacerme una máscara cuando emerja de la sombra?».Alejandra Pizarnik

ai ai Espanha, Espanha- só de pensar que há uma exposição de Rothko num museu e noutro trabalhos de Bill Viola, dá me logo vontade de tomar o comboio.

Bonnie "Prince" Billy"- ando muito muito encantada com a música intimista e triste (mais um camião de adjectivos que Ale, mais conhecedora da música dele, colocaria) deste "Prince".

Science & Vie- no mês de Agosto, o tema destaque é o sexo. Na revista do Jornal de Notícias de hoje , António Dámasio diz algo que não me surpreende nada, " o cérebro é uma desarrumação". Diz mais : "Não devemos conceber o cérebro como se funcionasse por módulos. É muito mais vago que isso, muito mais confuso. It´s mezzy, it´s fuzzy...". Quanto ao Prozac, ele deixa escapar, "não é senão uma forma grosseira de intervir". quero os gelados da "Olá" logo logo como forma de intervenção. o que eu acho curioso que uma revista como esta e que sai aos Domingos, as entrevistas têm sido cada vez mais com os psiquiatras...

infinito- o infinito tem plural? se o infinito existe como um todo, faz sentido ter um plural?

1 Comments:

Blogger ale said...

não , eu não colocaria mais adjectivos.nunca adjectivei tanto assim o bonnie prince billy .

1:09 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home